Bregenz

PLANEJAMENTO PRÉVIO:

A cidade de 2.000 anos de idade, situada às margens do lago Constanza, com o seu símbolo, a torre Martinsturm, em pleno centro medieval, é hoje a meca dos seguidores da arquitetura contemporânea.
Os Festivais de Bregenz (De 22/07 a 23/08/2015) ocupam a primeira posição no que se refere à cultura. Nesses festivais, há mais de um século e meio, grandes diretores colocam em cena óperas de alto nível com a orquestra “da casa”, a Sinfônica de Viena, em um impressionante cenário sobre o lago. Além do período dos festivais, todos os anos centenas de outros eventos, como exposições, concertos e a Primavera de Bregenz (Bregenzer Frühling), um festival de dança conhecido mundialmente, esperam o visitante.
Os aventureiros podem apreciar um amplo leque de atividades, como andar de bicicleta, praticar mountain bike, fazer trilhas, parapente e todos os tipos de esportes aquáticos. Do monte Pfänder, por onde circula um trem panorâmico, é possível desfrutar de belíssimas vistas das montanhas suíças, do lago Constaza, da região de Allgäu e do topo do Bregenzerwald até Widderstein, na fronteira com o Tirol. Às margens do lago, encontra-se um importante edifício arquitetônico, a Kunsthaus (Casa da Arte), situada bem na frente do porto, de onde partem os barcos que levarão o turista à cidade medieval da ilha de Lindau e à Blumeninsel (Ilha das Flores), em Mainau.

NOSSO RELATO:

Voltamos à estrada em direção a Bregenz. Reservamos um hotel chamado JUFA e não sabíamos o que esperar dele. Quando chegamos, era uma construção antiga e havia umas vagas no estacionamento reservadas para um instituto psiquiátrico. O Hotel era um prédio atrás desse lugar e o seu estacionamento ficava do lado de fora em um parque. Mas, logo vimos que o hotel era bem normal. A sua localização era ótima, em frente ao lago Bregenz, onde havia a montagem do palco para a ópera no Festival de Bregenz. Logo que chegamos a recepcionista nos deu ingressos para o balneário e tentamos ir, mas já estava fechado pois era mais de 19h. Resolvemos andar um pouquinho para chegar ao lago e demos com o palco preparado para uma ópera que seria apresentada naquela noite. Subimos na plateia para ver a bela montagem. Havia bastante gente por lá. Pensamos que talvez conseguíssemos assistir ao espetáculo que começava às 21h.
Houve uma confusão engraçada pois na montagem havia muitos guerreiros de terracota e também vimos um cartaz essas imagens, mas não entendemos nada do que estava escrito. Ao perguntar na recepção, ninguém sabia do que se tratava. A confusão só foi esclarecida quando fomos à bilheteria para tentar comprar ingresso e descobrimos que não poderíamos assistir a Turandot pois esta era uma sessão exclusiva para estudantes. O cartaz era de uma exposição (ou algo assim) em outra cidade. Não tinha nada a ver com o espetáculo. Ficamos tristes de não poder assistir, mas fomos passear pelo parque à beira do lago, que estava cheio de gente curtindo. Havia uma grande sensação de felicidade. Seguimos passeando, sentando um pouco e curtimos um por do sol lindo com muitas fotos. Fomos até o centro e clima era de festa total: muita gente, muita música, bebida vendida em balcões montados, tapetes vermelhos nas ruas. Era sábado e na quarta começaria o Festival de Música de Bregenz .
Resolvemos voltar e jantar em um restaurante em frente ao lago e com vista distante para o palco da ópera. Conseguimos uma mesa boa que dava para ver um pedaço do palco de lado e dava para ouvir a música. Vimos o grand finale com jatos d’água. Foi emocionante e o restaurante foi bem gostoso.

Fotos Ricardo:

Fotos Beth:

==============================

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code

Contato

Copyright © 2023 Viagens Gaspar - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio